"... it's working, isn't it?"

Monday, October 27
"... ela acordou sozinha, sóbria, assustada, num quarto estranho... Demorou alguns segundos para perceber que era o dele, só que ele não estava  lá e ela tivera um pesadelo... Mais um. Seus demônios adoram persegui-la em sonhos.
Tudo estava bem, ela se repetia, enquanto ia para sala checar se ele acordara... Não, ainda dormia. Não gostava dele ali, preferia-o perto, sua respiração a seu lado era calmante... Mas é preciso manter as  aparências. Sua família não era tão avançada quanto à dela.
Não beberam, não saíram, ficaram um com o outro vendo filme, ela estava   lá desde que saíra do trabalho e mesmo assim... Mesmo assim ela não sabe se tudo está bem. Decidira colocar as mágoas de lado e seguir em frente... Conseguira?
Ela vai cedo pra casa, ele quer ficar sozinho, quer curtir a própria companhia. Ela sabe que precisa fazer o mesmo. Sabe que ele está certo. Mas, mesmo em casa imersa em coisas que há tempos ela não fazia, e ainda cheia de cremes no cabelo, assistindo seus programas favoritos, ela tem a inclinação de pensar  que algo está errado, sabota-se sempre, crê raramente... E nessa relação há sempre uma chance de algo estar longe do certo.
Voltam a se ver a noite. Ele que convida, vai entender. Ela vai. Lógico que ela vai, corre até.
E é ela que pede pra ir embora, já tarde, está cansada... Ele estranha... Sempre é ele que a lembra de ir... Talvez ela esteja cansada de pensar, cansada de ser lembrada. Desta vez ela foi por si mesma.
Ainda assim no taxi ela está com ele.
E sabe que vai continuar assim até adormecer..."

1 consideraram:

Kátia Flávia said...

Ai amiga.. o amor... hahhaha
;**
amo vc

Post a Comment